Fortes sem pisar na academia

sábado, 2 de junho de 2012

Venho transcrever um texto que o colega Rodrigo Almeida nos enviou (agradeço o mesmo pela partilha de interessantes artigos) e que retrata um pouco do trabalho de Mourinho e sua comissão no Real Madrid. Texto simples e sem nenhuma surpresa para os que se familiarizam com a forma de trabalhar do Special One, porém é sempre de grande valia ler, ver ou ouvir sobre o dia a dia de trabalho em Valdebebas. 


Lembrando que esse texto é escrito sob a ótica do jornalista DIEGO TORRES do Jornal El País.

FORTES SEM PISAR NA ACADEMIA


Mourinho consegue que os jogadores do Real Madrid alcancem o 'pico' de aptidão ótima, sem pesos ou sessões de preparação física.

DIEGO TORRES - Madrid - 26/04/2011 - Véspera da partida de Ida das semifinais da Champions League 2010/11

                                       

A primeira coisa que impressionou muito os jogadores do Real Madrid quando começaram a temporada com José Mourinho no verão passado foi que não havia sessões dedicadas exclusivamente ao treinamento físico. O preparador, Rui Faria, o braço direito do técnico, não colocou os jogadores a realizar corrida contínua para exercitar o coração e os pulmões, nem  projetou circuitos para trabalhar a potência, ou subidas em rampas e obstáculos para saltar. "Só fazíamos jogos de 3x3, 3x2, 4x3, 5x5 ...", lembra um jogador. "Jogávamos todos os dias em um campo que variava em amplitude, com traves, que aumentavam ou diminuíam em número ou tamanho". 

                                       

"A resistência e a potência, melhoram favorecendo a parte tática", diz o treinador. 

Os jogadores ficaram incrédulos. "Você vai ficar muito bem ao final da temporada." Mourinho tranquilizava. Ao final, o plantel trabalhou sem realizar o tradicional trabalho físico. Só jogos com bola. Rotinas descontraídas, porém intensas, o que naturalmente tornou-se mais conhecido como exercitar o corpo e a mente, o físico e a tática.

No livro Por que tantas vitórias? Mourinho afirma que seus treinamentos são realizados, desde o início, com a presença da bola, tudo gira em torno da organização do futebol. No processo de organização, os jogadores são treinados para jogar e, portanto, evoluir fisicamente. "Na busca do lado tático, estou favorecendo todos os outros componentes de desempenho", diz, "a partir da necessidade tática surge todo o resto. Eu não acredito em equipes bem ou mal preparadas fisicamente, mas em equipas identificadas ou não com um dado modelo de jogo. Porque a adaptação fisiológica é sempre específica para essa forma de jogo. Preocupações técnicas, físicas e psicológicas, tais como concentração, surgem por arrasto. 

Oito meses após o início da temporada, o Real Madrid chegou ao auge de sua condição física. E tem uma vantagem sobre o Barça na próxima rodada da Liga dos Campeões, seus jogadores estão descansados. Além disso, conta com um maior elenco e isso permitiu  que os jogadores do Madrid jogassem uma média de 300 minutos competitivos a menos do que seus adversário. 

Até agora nesta temporada, o método não mudou. Pelo contrário. Estes dias, os titulares habituais, como um Cristiano, Ramos ou Alonso, seguem treinando. As sessões sobre a grama são mínimas. Quinze minutos, alguns alongamentos e descansar. A academia está reservada para jogadores lesionados ou aqueles com algum déficit a ser corrigido.


Os treinamentos duram aproximadamente 1 hora e se desenvolvem em alta intensidade,  e  os exercícios são cuidadosamente cronometrados, de 10 a 20 minutos. Os jogadores dizem que não podem parar. Devem estar sempre em movimento e se aproximando das tensões máximas. "Você tem alguns segundos para se recuperar e se hidratar, e se você se distrai conversando com alguém pode acabar ficando sem beber água" Ele explicou. Ciclicamente, Mourinho interrompe os jogos para trabalhar automatismos defensivos com grupos de 11. Neste ponto, todo mundo reconhece que o trabalho de Português é excelente.

Graças a seu sucesso, Mourinho popularizou um método, o treinamento integrado, que começou a ser concebido em Barcelona sob o comando de Louis van Gaal. O treinamento é derivado de uma invenção de Paco Seirul-lo quando era o preparador físico de Valero Rivera no handebol do clube. De lá, ele  transferiu esse sistema para o  futebol com Johan Cruyff e Van Gaal. "Historicamente, quase todo o treinamento físico não estava relacionado com as necessidades do jogador eo jogo, porque ele veio inspirado no mecanicismo e behaviorismo", afirma Lillo, "os treinadores antigos vieram do atletismo e foram inspirados pela teoria linear. Mas se existe algo não é linear, esse algo é um ser vivo. muito menos uma equipe de 25 seres vivos. Como Lillo disse: "No futebol, o treinamento físico sem a bola é como treinamento de força de braço de Nadal sem integrar o braço para o corpo."

Rui Faria e Mourinho aplicam isso em Madrid. E os jogadores agradecem.

http://www.elpais.com/articulo/deportes/Fuertes/pisar/gimnasio/elpepidep/20110426elpepidep_1/Tes28/04/11

4 comentários:

  1. fred disse...:

    Só uma correção, o método de Jose Mourinho não é a integração de factores mas sim Periodização Táctica.

  1. Gilterlan disse...:

    Isso mesmo, caro colega. Por isso fiz questão de frisar que o texto era um ponto de vista do JORNALISTA que o escreveu. Obrigado pela visita ao blog. Abraço.

  1. Gian Oliveira disse...:

    Achei excelente este texto. Parabens! Tenho um blog. www.profgiandeoliveira.blogspot.com
    gostaria de saber se você me autoriza a utilizar esse texto. Identificanto as fontes é claro..
    Muito obrigado !

    Abs

  1. Trabalho praticamente dessa forma há muito tempo. Em inicio de temporada meus jogadores tambem nao fazem maluquices ( tres turnos, corridas longas ao redor do gramado, areira, etc.. Nada disso eu faço) Uso o material e os espaços do jogo para desenvolver a capacitaçao dos meus jogadores. Tudo tranquilo e sem chamar isso de periodizaçao isso, ou aquilo... Sabe o problema aqui no Brasil é que precisamos nos preocupar com o desempenho dos nossos atletas e nao ficar discutindo o tempo todo essas coisas.. No passado era a tal a conversa de Hipertrofia X Hiperplasia, Alongamentos x Flexibilidade. Agora é a tal da denominação da periodizaçao.

    Há pessoas que falam que a preparaçao fisica nao existe, e eu concordo, preparar fisicamente é reduzir-se ao minino que podemos contribuir a modalidade. Nunca poderemos separar, ou pelo menos nao devemos, tatico do tecnico, do fisiologico, do social do psicologico, do farmacologico, do nutricionnal..

    ESSA é uma visão evoluída da verdadeira função que temos dentro de uma equipe de trabalho, alias, eu pelo menos tenho, e aconselho aos demais colegas a buscarem também esse tipo de atitude e posicionamento. Realmente, nós que atuamos na preparação desportiva de jogadores de futebol temos uma função mais ampla do que muita gente por si mesma se reduz e perde tanto tempo discutindo. Entendam que intrinsecamente em nosso dia a dia, para a aplicação de cargas de treino, organização de temporada e muitas resoluções que dizem respeito a personalidade de cada indivíduo que interage conosco, precisamos unir conhecimentos de aspectos técnicos, psíquicos, sociais, táticos (individuais principalmente) pedagógicos, educacionais e claro, aspectos fisiológicos-funcionais.
    Esse consenso interno de ser treinador desportivo tem relação com a formação de cada um. Algumas pessoas se limitam, outras ampliam suas mentes. Mesmo que intitulem o cargo de " Preparador Físico " Procure ser mais do que isso. Parem de discutir o "sexo dos anjos", se existe ou não existe, faça acontecer o seu trabalho e independente de qualquer coisas você obterá sucesso.